Covid-19

COVID-19

Dengue

PORTAL DA
DENGUE

X

PR fica de fora da lista de estados que receber?o m?dicos cubanos...

Quarta-feira, 04 de setembro de 2013

Última Modificação: 09/06/2020 16:55:34 | Visualizada 237 vezes


Ouvir matéria

Nenhum médico cubano, do primeiro grupo de profissionais que chegou ao Brasil, após acordo do Ministério da Saúde com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), dentro do programa do governo federal “Mais Médicos”, vai trabalhar no Paraná. O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (2) que 91% dos médicos cubanos vão atuar nos municípios das regiões Norte e Nordeste do país. Na região Sul, apenas o Rio Grande do Sul receberá profissionais cubanos. Cinco cidades do Paraná, que não foram escolhidas por nenhum profissional brasileiro e estrangeiro, poderiam receber cubanos já nesta primeira etapa do programa. Itambé, no noroeste, Jataizinho, no norte; Lapa, Mandirituba e Tunas do Paraná, que ficam na Região Metropolitana de Curitiba estão entre os 701 municípios brasileiros que não tiveram nenhum inscrito na primeira seleção.

Quatro mil médicos cubanos virão para o Brasil para preencher as vagas que não foram escolhidas por brasileiros e estrangeiros na seleção individual. Os 400 cubanos, que participam desta primeira etapa do programa, serão direcionados a um total de 219 localidades, sendo 206 municípios e 13 Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEIs). Juntas, as regiões Norte e Nordeste receberão 364 profissionais. Os 36 demais médicos irão para áreas carentes em 26 cidades do Sudeste e em seis do Sul.

O ministro da saúde, Alexandre Padilha, havia explicado que, a partir do acordo com a Opas, os municípios carentes, que precisam de médicos e enfrentam dificuldades de contratar profissionais, serão atendidos com a vinda dos médicos cubanos ao país. Ele garantiu que o programa está trazendo médicos preparados, experientes, com especialização em saúde da família que já trabalharam em países de língua portuguesa.

98 médicos no Paraná
Até as 17h30 desta terça-feira, os municípios e profissionais do Paraná que se cadastraram na segunda etapa do programa, encerrada na sexta-feria (30), ainda não haviam sido divulgados pelo Ministério da Saúde.

Noventa e oito profissionais confirmaram participação no estado para o programa “Mais Médicos”, conforme o Ministério da Saúde – 42 brasileiros e 56 com registro profissional de fora do país, podendo ser brasileiros ou estrangeiros. Os participantes foram distribuídos em 27 municípios: 13 em Curitiba e Região Metropolitana e 14 em cidades de extrema pobreza.

Confira a tabela com as cidades que vão receber os profissionais do programa e o número de médicos brasileiros e estrangeiros nos municípios do Paraná.

O número de vagas preenchidas é equivalente a 10% da demanda dos municípios do estado. A necessidade para completar os quadros na atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) nas cidades paranaenses era de 969 médicos.  O primeiro mês de seleção do programa do governo federal foi encerrado no dia 13 de agosto.

‘Mais Médicos’
O programa “Mais Médicos” foi lançado pela presidente Dilma Rousseff (PT), no dia 8 de julho, com o objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde, além de ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país, como os municípios do interior e as periferias das grandes cidades e, assim, melhorar o atendimento aos usuários do SUS. Os médicos do programa vão receber uma bolsa de R$ 10 mil, paga pelo Ministério da Saúde, mais ajuda de custo e farão especialização em Atenção Básica.

Segundo o Ministério da Saúde, no Paraná, já foram investidos R$ 149,3 milhões para obras em 1.024 unidades de saúde e R$ 17,8 milhões para compra de equipamentos para 334 unidades. Também foram aplicados R$ 70,8 milhões para construção de 41 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e R$ 28,5 milhões para reforma e/ou construção de 49 hospitais.

Fonte: G1-Pr

 Veja Também