ÚLTIMAS NOTÍCIAS /

Pela sustentabilidade, arquitetos erguem casa de contêineres e pet...

Sexta-feira, 04 de outubro de 2013

Visualizada 224 vezes


Materiais integram a maior casa de contêiner do Brasil, em Foz do Iguaçu.
Alternativas serão apresentadas ao público a partir do dia 16 de outubro.

 

Uma equipe de arquitetos de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, projetou uma casa que, dizem ser a maior do Brasil, feita a partir de contêineres. Não é só o tamanho, 500 m², que chama a atenção. O piso é de bambu, os revestimentos nas paredes e no teto de alguns dos cômodos são de fibra de garrafa pet e no chão madeira plástica e bambu – tudo em prol da sustentabilidade e da reutilização de materiais sem prejuízo à qualidade dos empreendimentos. O projeto será apresentado no dia 15 de outubro, data marcada para a inauguração da CasaFoz Design, evento de arquitetura e construção que reúne trabalhos de 55 profissionais da cidade e da região e envolve 250 empresas.

A casa tem 30 ambientes divididos em 15 contêineres, incluindo o que serviu para a piscina de 9 metros de comprimento por 2,5 metros de largura. “No transporte marítimo, eles têm vida útil de cerca de dez anos. E, em outros usos, como na construção civil, pode chegar a 90 anos”, cita a arquiteta ao lembrar que os usados na obra tiveram reproduzidos os códigos que indicam onde e que materiais transportavam. “Esta certificação é importante para se ter certeza por exemplo de que não transportou materiais tóxicos.”

Fibras feitas de garrafas pet substituem as de vidro e combinadas com técnicas de ventilação cruzada ajudam no melhor aproveitamento da luz do sol e a manter a temperatura interna agradável, diminuindo ainda o uso dos aparelhos de ar-condicionado e de luz artificial. Outra técnica é a do teto verde: uma espécie de gramado que substitui lajes e telhas convencionais. “As opções foram pensadas com base na ideia de reutilizar, reduzir e reciclar”, explica.

Nas salas, na cozinha, no banheiro e nos quartos, mosaicos feitos com restos de mármore revestem as paredes e incrementam a decoração. “O material é sobra que fica acumulada nas marmorarias. Uma das alternativas para o descarte correto pode ser este, quase sem custo de material”, observa o organizador da Casa Foz Design, Ralf Smaha. “Quando se pensa em reaproveitamento, nem sempre o retorno é a economia imediata, mas a ideia de se contribuir com o meio ambiente”, completa.

Em relação aos custos, Smaha adianta que são praticamente os mesmos de uma construção de alto padrão feita com materiais comuns, o equivalente a R$ 2 mil o metro quadrado, contando o transporte dos contêineres do Porto de Paranaguáx, no litoral do estado. “Uma das vantagens é o tempo de conclusão da obra. A estrutura desta casa ficou pronta em duas semanas”, compara o administrador. “A médio e longo prazo, a economia deve passar dos 30%.”

A localização da casa contêiner, que depois do evento deverá ser transformada em um conjunto de salas comerciais, também tem como objetivo incentivar a revitalização e recuperação da região, uma das mais tradicionais de Foz do Iguaçu e que integra o corredor turístico da tríplice fronteira entre o Brasil, Paraguai e Argentina. A Avenida das Cataratas liga o aeroporto e o Parque Nacional do Iguaçu ao centro da cidade.

Atividades artísticas
A CasaFoz Design estará aberta ao público de 16 de outubro a 17 de novembro. Além de palestras com especialistas contará com atividades paralelas como exposições de artes visuais, shows, desfile de moda, degustação de vinhos, exibição de filmes (longas e curtas), sarau de poesia, feira de produtos orgânicos, contação de histórias, cozinha-show e bazar de móveis e objetos usados nos projetos de decoração. Mais detalhes podem ser obtidas no sitedo evento.

Em relação aos custos, Smaha adianta que são praticamente os mesmos de uma construção de alto padrão feita com materiais comuns, o equivalente a R$ 2 mil o metro quadrado, contando o transporte dos contêineres do Porto de Paranaguáx, no litoral do estado. “Uma das vantagens é o tempo de conclusão da obra. A estrutura desta casa ficou pronta em duas semanas”, compara o administrador. “A médio e longo prazo, a economia deve passar dos 30%.”

A localização da casa contêiner, que depois do evento deverá ser transformada em um conjunto de salas comerciais, também tem como objetivo incentivar a revitalização e recuperação da região, uma das mais tradicionais de Foz do Iguaçu e que integra o corredor turístico da tríplice fronteira entre o Brasil, Paraguai e Argentina. A Avenida das Cataratas liga o aeroporto e o Parque Nacional do Iguaçu ao centro da cidade.

Atividades artísticas
A CasaFoz Design estará aberta ao público de 16 de outubro a 17 de novembro. Além de palestras com especialistas contará com atividades paralelas como exposições de artes visuais, shows, desfile de moda, degustação de vinhos, exibição de filmes (longas e curtas), sarau de poesia, feira de produtos orgânicos, contação de histórias, cozinha-show e bazar de móveis e objetos usados nos projetos de decoração. Mais detalhes podem ser obtidas no sitedo evento.

Em relação aos custos, Smaha adianta que são praticamente os mesmos de uma construção de alto padrão feita com materiais comuns, o equivalente a R$ 2 mil o metro quadrado, contando o transporte dos contêineres do Porto de Paranaguáx, no litoral do estado. “Uma das vantagens é o tempo de conclusão da obra. A estrutura desta casa ficou pronta em duas semanas”, compara o administrador. “A médio e longo prazo, a economia deve passar dos 30%.”

A localização da casa contêiner, que depois do evento deverá ser transformada em um conjunto de salas comerciais, também tem como objetivo incentivar a revitalização e recuperação da região, uma das mais tradicionais de Foz do Iguaçu e que integra o corredor turístico da tríplice fronteira entre o Brasil, Paraguai e Argentina. A Avenida das Cataratas liga o aeroporto e o Parque Nacional do Iguaçu ao centro da cidade.

Atividades artísticas
A CasaFoz Design estará aberta ao público de 16 de outubro a 17 de novembro. Além de palestras com especialistas contará com atividades paralelas como exposições de artes visuais, shows, desfile de moda, degustação de vinhos, exibição de filmes (longas e curtas), sarau de poesia, feira de produtos orgânicos, contação de histórias, cozinha-show e bazar de móveis e objetos usados nos projetos de decoração. Mais detalhes podem ser obtidas no site do evento.

 

 

Fonte: G1 Maringá

 Galeria de Fotos

 Outras Notícias

Rua Marcelino Alves de Alcântara, 133 - Cep: 86650-000 - Santo Inácio - Paraná - (44) 3352-1222 prefeitura@santoinacio.pr.gov.br