ÚLTIMAS NOTÍCIAS /

Enem difícil é corrida contra o tempo...

Segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Visualizada 190 vezes


Prova teve nível elevado e o tema da redação surpreendeu quem esperava escrever sobre protestos ou espionagem

 

O nível elevado da prova do Enem 2013, mais difícil do que no ano passado segundo professores consultados pela Gazeta do Povo, fez com que muitos estudantes reclamassem de falta de tempo para resolver as questões com calma. As perguntas exigiram bastante leitura e o tema da redação não estava entre os mais lembrados nas aulas preparatórias

Os estudantes discorreram sobre os efeitos da Lei Seca, assunto que vinha bem atrás da Copa do Mundo e dos protestos de junho na “bolsa de apostas” informal que sempre aparece antes do Enem. “Estava esperando algo como espionagem, seca ou mobilidade”, disse Fernanda Macedo, 17 anos, aspirante a uma vaga no curso de Arquitetura da UFPR.

 

Apesar da surpresa sobre o tema, a professora Cleuza Cecato, do Colégio Bom Jesus, em Curitiba, analisa que a questão não fugiu do que costuma ser cobrado no Enem: assuntos com repercussão social e que permitem a reflexão. “Foi uma escolha oportuna, já que em dezembro do ano passado a lei passou a ser mais rigorosa”, lembra. Além disso, é tema que chama a atenção dos jovens que estão na idade de ingressar na universidade.

 

As provas de Linguagens e Matemática foram consideradas exigentes e cansativas. A primeira, por demandar um nível elevado de leitura e o conhecimento prévio de Machado de Assis e Clarice Lispector. No caso de Matemática, o problema foi o trabalho para resolver as questões. “São só três minutos por questão. A falta de tempo prejudicou os estudantes”, diz o professor Claudio Amalio de Souza, do Expoente, na capital.

 

No sábado, candidatos reclamaram da dificuldade das provas de Física e Química, que exigiam conhecimento de fórmulas. Aspirante a uma vaga no curso de Enfermagem da Federal, Cristine Mendes, 18 anos, avaliou a prova como mais difícil do que a do ano passado. “Física estava complicada, cobraram geradores, voltagem.” A reclamação foi confirmada pelo professor Jorge Manika, do Dom Bosco. “Se tomarmos como padrão as edições dos anos anteriores, esta foi a prova mais difícil na área de Física.”

 

O professor Wilmar Mar­tins, do Dom Bosco, avaliou a prova de Biologia como “bastante exigente”, próxima ao que se cobra nos vestibulares. Para Julio Cezar Siqueira, do Curso Acesso, apesar de bem elaboradas, as questões de História não fizeram referência a acontecimentos mais recentes. “Faltou perguntar algo sobre o século 20 e 21.” Já a prova de Filosofia trouxe como novidade o pensamento de Foucault, nunca cobrado em edições do Enem.

 

No Twitter

 

Durante os dois dias de provas do Enem, 36 inscritos foram desclassificados por postarem imagens do exame em redes sociais, sendo 12 na avaliação de ontem e 24 nas provas de sábado. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante informou que o número ainda pode crescer porque o sistema de monitoramento continua. A eliminação pode ocorrer a qualquer tempo, de acordo com as normas do exame. Segundo o ministro, foram avaliados cerca de 2 milhões de contas no Twitter. No ano passado, 65 candidatos foram eliminados por postarem fotos na rede social.

 

Fonte: Gazeta Maringa

 Galeria de Fotos

 Outras Notícias

Rua Marcelino Alves de Alcântara, 133 - Cep: 86650-000 - Santo Inácio - Paraná - (44) 3352-1222 prefeitura@santoinacio.pr.gov.br