ÚLTIMAS NOTÍCIAS /

Empresa é suspeita de dar calote em terceirizados do TRE...

Quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Visualizada 214 vezes


Funcionários contratados pela Adminas para atender eleitores durante o processo de recadastramento biométrico em Maringá acionaram a Justiça para receber salários, multas e benefícios atrasados

Algumas pessoas que trabalharam durante o recadastramento biométrico em Maringá acionaram a Justiça para receber salários, multas e benefícios atrasados. O grupo alega que a Adminas Administração e Terceirização - empresa mineira contratada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) para fornecer mão-de-obra – não honrou com seus compromissos.

Responsável por cinco processos de terceirizados que foram contratados pela Adminas, a advogada Thaissa Figueiredo alega que a empresa atrasou o salário logo no segundo mês de trabalho. “Alguns funcionários pediram demissão por conta dos atrasos, enquanto outros foram demitidos sem direito algum, como reserva rescisória, décimo terceiro e proporcional de férias.”

 

A advogada entrou com ação na Justiça do Trabalho e a primeira audiência de conciliação ocorreu no fim do mês passado. Ela informou que o TRE mandou representantes que não quiseram fazer acordo, sob alegação de que a Adminas é totalmente responsável pelos pagamentos. Nenhum representante da Adminas esteve presente. No entanto, ela afirma que se a empresa não arcar com o prejuízo, acionará a Justiça para que o TRE quite as dívidas.

 

Uma das trabalhadoras lesadas foi Sara Vanessa Ribas, que trabalhou durante seis meses para o TRE. Ela informou que não recebeu o último salário nem as multas pelo atraso. Sara estava recebendo seguro desemprego e abriu mão do beneficio para assumir a vaga no TRE.

 

“Fiquei com várias contas atrasadas. Além disso, não sei como, mas a Adminas depositou e conseguiu estornar o valor do FGTS. Nunca imaginei que levaria calote trabalhando para o TRE. Achei que houvesse seriedade na hora de terceirizar um serviço. Pelo visto, não existe. No segundo mês de trabalho, muita gente quis desistir.”

 

Contrato do TRE com a Adminas foi rescindido

 

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) informou que a Adminas foi contratada para fornecer mão-de-obra para auxiliar no recadastramento biométrico no período de 3 de abril e 4 de outubro deste ano. No entanto, diante do atraso no salário dos terceirizados, o contrato foi rescindido em agosto. Para a continuidade dos trabalhos foi contratada a segunda colocada na licitação, a empresa RHNossa.

 

Em nota divulgada à imprensa, a assessoria do TRE explicou que todos os créditos que a Adminas tinha com o tribunal foram retidos para garantir o pagamento dos direitos trabalhistas dos terceirizados.

 

“A Adminas apresentou os cálculos das verbas rescisórias e o próprio TRE-PR efetuou os pagamentos diretamente aos trabalhadores. Como houve reclamação em juízo questionando diferenças de valores recebidos, atendendo a uma ordem judicial, o TRE do Paraná depositou em juízo o saldo restante dos créditos da empresa Adminas para quitar eventuais direitos dos terceirizados.”


Fonte: GAZETA-MARINGÁ

 Outras Notícias

Rua Marcelino Alves de Alcântara, 133 - Cep: 86650-000 - Santo Inácio - Paraná - (44) 3352-1222 prefeitura@santoinacio.pr.gov.br