Covid-19

COVID-19

Dengue

PORTAL DA
DENGUE

X

For?a Nacional j? tem plano para atuar na Copa...

Quarta-feira, 12 de março de 2014

Última Modificação: 09/06/2020 16:50:41 | Visualizada 228 vezes


Ouvir matéria

Secretária Nacional da Segurança garantiu ontem que um plano está traçado, caso algum dos estados das 12 cidades-sede requisite o auxílio

A secretária nacional da Segurança Pública do Minis­­­­tério da Justiça, Regina Miki, garantiu ontem que a Força Nacional está pronta para atuar no auxílio às polícias das cidades que serão palco da Copa do Mundo, em junho. Apesar de ainda não ter recebido nenhum pedido oficial de ajuda, a Força Nacional elaborou um plano de atuação caso seja requisitada. “[A Força Nacional] está apta para atuar em qualquer segmento da segurança pública, seja nos jogos ou fora deles. Ainda estamos como força de contingência pois não temos participação requerida por qualquer estado”, afirmou Regina.

Além das cidades que receberão os jogos, a tropa poderá atuar em locais onde as seleções vão se hospedar ou treinar. Para atuar, a Força Nacional precisa ser requisitada pelos governadores.

Diante de um cenário de manifestações violentas, a presidente Dilma Rousseff afirmou no fim de fevereiro que o governo usará as Forças Armadas para coibir atos de violência durante a Copa do Mundo. “A Polícia Federal, a Força Nacional de Segurança, a Polícia Rodoviária Federal, todos os órgãos do governo federal estão prontos e orientados para agir dentro de suas competências e, se e quando for necessário, nós mobilizaremos também as Forças Armadas”, disse. À Agência Brasil, Regina disse que a PRF já solicitou o auxílio da Força na fiscalização de estradas durante o Mundial, mas a corporação não confirmou o pedido.

Balanço

A Secretaria Nacional da Segurança Pública divulgou um balanço sobre sua atuação no ano passado. Foram realizadas 59 operações, das quais 29 já foram encerradas. As demais, estão em andamento em 15 estados e no Distrito Federal.

O boletim, de caráter consultivo, revela que o número de apreensão de armas mais que dobrou no último ano em relação a 2012, passando de 568 para 1.658 armamentos. Já a quantidade de drogas apreendidas pelos agentes da Força diminuiu, principalmente em relação ao crack, em que houve uma queda de 77,91 kg apreendidos em 2012 para 8,8 kg em 2013.

À Agência Brasil, a secretária alertou que os números de apreensão são parciais, porém expressivos por refletirem um trabalho de auxílio desenvolvido principalmente nos estados fronteiriços do país. Ainda nesta semana, o Ministério da Justiça prorrogou por mais 180 dias as operações policiais nas regiões de fronteira do Acre e de Mato Grosso do Sul.

 Galeria de Fotos

 Veja Também