Covid-19

COVID-19

Dengue

PORTAL DA
DENGUE

X

Campanha ao governo do Paran? est? mais barata...

Segunda-feira, 08 de setembro de 2014

Última Modificação: 27/08/2018 18:57:07 | Visualizada 245 vezes


Ouvir matéria

Nova prestação de contas dos candidatos revela que gastos, até agora, foram de R$ 11,6 milhões. No mesmo período da disputa de 2010, despesas haviam sido de R$ 17 milhões

Os valores gastos pelos candidatos ao governo do Paraná na campanha deste ano são 31,8% menores do que os da campanha de 2010. De acordo com a segunda prestação de contas, divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no sábado, os oito postulantes ao Palácio Iguaçu arrecadaram cerca de R$ 9,2 milhões e gastaram em torno de R$ 11,6 milhões entre julho e setembro. Quatro anos atrás, no mesmo período, as receitas somavam cerca de R$ 21,3 milhões e as despesas, R$ 17 milhões

 

Os principais candidatos ao cargo – Beto Richa (PSDB), Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) – respondem por quase todas as receitas e despesas. O tucano declarou arrecadação de R$ 4,29 milhões e gastos de R$ 3,56 milhões. Requião apresentou receita de R$ 1,5 milhão e despesas de R$ 1,74 milhão. A petista arrecadou R$ 3,45 milhões, mas já contabilizou despesas no valor de R$ 6,3 milhões.

“Conforme a resolução do TSE, a despesa tem de ser contabilizada no momento da assinatura do contrato. Por isso há esse descasamento de receita e despesa. Mas é o modo que tem de ser feito, tanto que requeremos ao TRE [Tribunal Regional Eleitoral] que as outras candidaturas respeitassem isso”, explicou o coordenador jurídico da campanha do PT, Luiz Fernando Pereira.

Há outras diferenças nos balanços financeiros dos três candidatos, mas é possível comparar os principais gastos de cada um. O candidato à reeleição investiu a maior parte do dinheiro em publicidade de materiais impressos (R$ 1 milhão); Gleisi destinou R$ 731 mil para o mesmo fim e Requião, R$ 296 mil.

A maior despesa declarada por Gleisi foi com a produção de programas de rádio, televisão ou vídeo: R$ 1,5 milhão. Outro gasto elevado da petista foi com pesquisas e testes eleitorais (R$ 600 mil).

Locomoção

Reportagem publicada ontem pela Gazeta do Povo mostrou que os três candidatos percorreram cerca de 13,5 mil quilômetros em campanha eleitoral durante o mês passado. A maior parte foi feita por Requião: 6,6 mil quilômetros. Ele declarou gastos de R$ 284 mil com transporte ou deslocamento. Coincidentemente, foi o mesmo divulgado pela campanha de Richa. O governador, porém, tem concentrado a campanha pelo interior nos fins de semana, e por isso contabilizou apenas 538 quilômetros rodados. Mas os gastos com combustíveis foram bem mais altos na campanha de Richa: R$ 163 mil, contra R$ 42,6 mil de Requião e R$ 39,8 mil de Gleisi.

Richa e Requião também têm gastos semelhantes com empresas de táxi aéreo: o tucano pagou R$ 276 mil para a Táxi Aéreo e Manutenção Aeronáutica e Requião, R$ 244 mil para a VIP Jet. Gleisi declarou gastos de R$ 101 mil com transporte, dos quais apenas R$ 48,2 mil para a Táxi Aéreo Hércules.

A próxima prestação de contas terá de ser feita após a eleição de 5 de outubro, já com todos os gastos do primeiro turno contabilizados.

 Veja Também